terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Jardins em Locais Pequenos - Varandas e Terraços

Muitas vezes os espaços que dispomos para a execução de um jardim são pequenos, principalmente quando se fala de apartamentos, onde o que nos resta é a varanda, não é? Mas, nem por isso, é necessário deixar de lado a idéia de ter um jardim.
A seguir, alguns exemplos de jardins em pequenos espaços, sejam eles, naquele cantinho do quintal ou na varanda:

Fig 1. - Projeto Patrícia Cosignani

Na Figura 1, num espaço de aproximadamente, 2m x 2m, foi possível compor um gracioso jardim. Para tanto, foram utilizadas algumas espécies como lanterninha-japonesa (Abutilon megapotamicum), Ixoras (Ixora coccínea 'Compacta'), Periquito (Alternanthera ficoidea), Azulzinha (Evolvulus glomeratus) e, nos vasos dispostos no centro, algumas ervas como hortelã, alecrim e bálsamo. Espécies, estas, encontradas em praticamente qualquer garden center e que são fáceis de cultivar.

Em outro exemplo, (Figura 2 e 3), temos um terraço, na laje de cobertura da garagem de uma residência. Aqui, a preocupação foi com a baixa manutenção. Para economia durante o manejo cotidiano, não foi deixado nenhum canto inacessível, o que evita arrastar os vasos na hora da limpeza. As espécies utilizadas neste projeto foram:
  • aequimea,
  • palmeira-cariota,
  • buxinho,
  • trapoeraba,
  • epidendro,
  • calanchoe,
  • bananeira-de-jardim,
  • grama-preta,
  • musgo,
  • bromélia.

Fig 2 e 3. - Projeto Fernanda Minucci

 Varandas e Terraços

As varandas e terraços em edifícios têm se mostrado como uma importante extensão do apartamento. Em função da busca constante por uma melhor qualidade de vida, os moradores passaram a cultivar jardins nestes espaços, que além de embelezar, valorizam ainda mais o imóvel.
Sendo assim, em virtude da grande ênfase que têm sido dada, a procura por projetos de paisagismo específicos para estes espaços, torna-se freqüente.
Fig 1. - Projeto Patrícia Cosignan
Ou trabalha-se com o plantio das espécies em vasos (fig.01);
Ou, elas já existem no local, ou ainda, podemos construir as jardineiras ou floreiras em alvenaria (fig.02).

O partido se desenvolve sempre a partir do desejo de tornar a varanda uma importante "peça" de decoração e convívio nas salas, ou até mesmo para descanso nos dormitórios, dos apartamentos.
Devemos lembrar que para o total êxito na intervenção paisagística, é prioritário o estudo atento de fatores como insolação, ação dos ventos (ainda mais quando se trata de varandas), visibilidade, facilidade de manutenção, solo, resultando, portanto, na escolha adequada dos elementos bem como das plantas a serem utilizadas.

Fig. 2 - Projeto Telma Brada

Vários materiais podem ser empregados, como cascas de árvores, troncos, correntes, pedras, bancos, ou seja, materiais e acessórios dos mais diversos, tendo uma preocupação estética e funcional (o que gera praticidade) direcionando a escolha das espécies de plantas e dos arranjos a serem adotados.










Custos

Fig. 3 - Projeto Átrio Arquitetura
Muitas vezes, o paisagismo se torna supérfluo pela impressão errônea de se tratar de um investimento alto, ao contrário da verdadeira realidade. O custo, geralmente, pode ser facilmente adaptado às condições dos moradores, sempre resultado de um diálogo entre proprietário e o arquiteto ou paisagista responsável pelo projeto.
Além disso, é importante ter como objetivo primeiro, que o projeto seja cuidadosamente executado. Desta forma previne-se dores de cabeça futuros, além de gastos desnecessários com consertos e na pior das hipóteses ter que refazer a obra.






Preserve Varandas e Floreiras

Eis um ponto muito importante, no caso de floreiras e jardineiras de alvenaria: a impermeabilização, pois sem ela, depois de uma chuva ou de um tempo de uso, a água penetra na estrutura.
Fig. 4 - Ralo da Floreira

O resultado pode ser o aparecimento de manchas na parede (em que está a floreira/jardineira) ou pinga-pinga sob a varanda. Para evitar maiores complicações, é melhor utilizar produtos cujo sistema seja do tipo flexível. Estas áreas acabam sendo muito suscetíveis a trincas devido à exposição ao sol e à chuva - a variação de temperatura as leva a contrair e a dilatar, provocando as conhecidas rachaduras.
A situação é ainda mais crítica nas estruturas em balanço, como em algumas das varandas. Entre os produtos que suportam esse vai-e-vem, existe uma preferência pelas mantas asfálticas moldadas na obra.
Também é imprescindível cuidar do caimento do piso - que deve ser em direção ao ralo, caso contrário, a água da chuva escorre para o piso de salas e quartos, ou pode empoçar em até mais de um ponto do local.

Como proteger a varanda das infiltrações

Fig. 5 - Dreno da Jardineira
Floreiras e jardineiras pedem sistema de drenagem (veja ilustrações nas Figs. 04, 05 e 06). Nas primeiras, que são menores, use membrana asfálticas. Já nas jardineiras, eleja mantas do tipo anti-raiz. É importante lembrar que deve haver no projeto a previsão de flores e arbustos sem raízes profundas para não forçar a impermeabilização.
Se você pensou em transformar a varanda de seu apartamento em um mini-jardim ou dar a ela um ar mais charmoso, não perca mais tempo!




Fig. 6 - Impermeabilização da Varanda




 Lembre-se que, conforme a necessidade, arquitetos e paisagistas são os profissionais mais indicados para auxiliá-lo a colocar em prática seus desejos, de maneira mais prática e adequada.





créditos: Jarneiro.net

Um comentário:

  1. Olá, ta rolando um sorteio lá no meu blog de um biquíni lindo, da uma passadinha lá pra ver.
    http://leehbastos.blogspot.com/2011/02/sorteio-tem-estilo-leeh-b.html

    Beijos.

    ResponderExcluir